Vendaval causa estragos na Grande Florianópolis

Há registro de queda de placas, fachadas de estabelecimentos e árvores em Palhoça, Rancho Queimado e diferentes bairros de Florianópolis.

Por Redação DC

Um vendaval atingiu a Grande Florianópolis na tarde desta terça-feira (29) e causou estragos em diferentes cidades da região. Há registro de queda de árvores e de placas em Palhoça, Rancho Queimado, São José e diferentes bairros da Capital. Mais cedo, um temporal também provocou danos em municípios do Sul de Santa Catarina.

Na BR-101, em São José, placas chegaram a atingir um veículo que trafegava sobre a via, nas proximidades do Continente Shopping. Na BR-282 galhos de árvores caíram sobre a pista, o que requer atenção redobrada dos motoristas.

Na estação do aeroporto de Florianópolis, o vento chegou a 84 quilômetros por hora às 15h11min desta terça-feira. Segundo a assessoria da Floripa Airport, apenas um voo precisou esperar 20 minutos para decolar em função dos ventos.

No Fórum da Capital, no Centro, a ventania quebrou janelas no térreo, no primeiro e no 11º andar. Por volta das 16h, funcionários da manutenção e de engenharia visitavam os locais atingidos.

Prejuízos também na UFSC. Parte de uma árvore Guarapuvu, que fica no campus do bairro Trindade, caiu ao lado de carros que estavam estacionados. A espécie é considerada um símbolo da Capital. Segundo a assessoria da instituição, o campus também registrou queda de telhado.

Na Praia da Caieiras do Sul, na Ilha de SC, Bombeiros foram acionados para realizar o resgate de uma embarcação que, aparentemente, estava à deriva. Segundo o Corpo de Bombeiros a informação é de que havia quatro pessoas. O resgate, entretanto, não chegou a ocorrer, já que a embarcação conseguiu retornar.

No Sul do Estado, que já registrou temporal mais cedo, os ventos chegaram a 83 quilômetros por hora em Imbituba. A Defesa Civil de Santa Catarina ainda está averiguando os estragos no Estado.

Assista ao vídeo

Evento de baixo impacto, diz Defesa Civil

Para a Defesa Civil de Florianópolis, apesar dos estragos causados pelo vendaval, o evento é considerado de baixo impacto e corriqueiro para a época do ano – primavera. A assessoria de imprensa afirmou que a tempestade já estava prevista pelo monitoramento da entidade, inclusive, com alertas à população.

Ainda segundo o órgão, destelhamentos ocorreram em duas comunidades escolares, uma no Ribeirão da Ilha e outra na área central, várias casas foram danificadas e houve registro de quedas de árvores em diversas regiões. O evento climático, entretanto, se dissipou rapidamente.

Ventos chegaram a quase 100 km/h no Sul de SC

Os ventos chegaram a 99,7 km/h às 16h em Balneário Arroio do Silva, no Litoral Sul de SC. Segundo a meteorologista da Epagri/Ciram, Marilene de Lima, foi o vento com velocidade mais alta no Estado nesta terça.

Em Florianópolis a velocidade chegou a 71 km/h às 16h. Já em São José os ventos atingiram 68,4 km/h. Marilene alerta que o fenômeno deve se repetir durante os próximos dias.

Regiões sem luz no Estado

Por volta das 17h40min, após o temporal no Sul e o vendaval na região de Grande Florianópolis, mais de 73 mil unidades estavam sem luz em SC. No Sul, ocorre mais de 15 mil interrupções. Já na Grande Florianópolis são 34,7 mil unidades sem energia elétrica, praticamente todas acidentais, segundo o site da empresa Celesc.

No Sul de SC as interrupções ocorrem nas cidades de Criciúma, Jaguaruna, Sangão, Içara e Treze de Maio, Orleans, Bom Jardim da Serra, Tubarão, Imaruí, Armazém e São Martinho.

Na região mais próximo da Capital, os municípios que sofrem com a falta de luz são São José, Antonio Carlos, Santo Amaro da Imperatriz, Canelinha e Florianópolis.

Search  Search

View More Results…